Fim do ano está aí! Sim minha gente, falta pouco para vestir novamente a roupa branca, beber champagne, pular ondas (ou no meu caso, passar frio) e fazer mais uma lista de desejos para "o ano que vai nascer". Mais uma vez a lista, os sonhos, os desejos e as vontades, muitas que não se concretizam e outras que precisam acontecer. Achei um texto muito legal, atribuído a Carpinejar, Antonia no Divã e outros autores virtuais, mas não tenho certeza quem seja o poeta online que escreveu algo que caberia a tanta gente como nós, que viemos, iremos ou queremos ir embora. Se você sabe quem foi aproveite (e comente ali embaixo), faço questão de dar os devidos créditos. E não esqueça, faltam 4 meses para empacotar tudo de novo para ir para praia, para o campo comemorar e sonhar, ou simplesmente se vestir de branco mais uma vez e criar mais uma lista. Talvez, seja hora realmente de realizar o seu sonho e ir embora. P.S: Um dia depois de publicado a Antônia no Divã me escreveu dizendo o texto é dela! Até Carpinejar escreveu carta se redimindo da não-autoria. Vejam o post original aqui)

"Ir embora é importante para que você entenda que você não é tão importante assim, que a vida segue, com ou sem você por perto. Pessoas nascem, morrem, casam, separam e resolvem os problemas que antes você acreditava só você resolver. É chocante e libertador ? ninguém precisa de você pra seguir vivendo. Nem sua mãe, nem seu pai, nem seu ex-patrão, nem sua pegada, nem ninguém. Parece besteira, mas a maioria de nós tem uma noção bem distorcida da importância do próprio umbigo ? novidade para quem sofre deste mal: ninguém é insubstituível ou imprescindível. Lide com isso.

É preciso ir embora.

Ir embora é importante para que você veja que você é muito importante sim! Seja por 2 minutos, seja por 2 anos, quem sente sua falta não sente menos ou mais porque você foi embora ? apenas sente por mais tempo! O sentimento não muda. Algumas pessoas nunca vão esquecer do seu aniversário, você estando aqui ou na Austrália. Esse papo de ?que saudades de você, vamos nos ver uma hora? é politicagem. Quem sente sua falta vai sempre sentir e agir. E não se preocupe, pois o filtro é natural. Vai ter sempre aquele seleto e especial grupo que vai terminar a frase ?Que saudade de você?? com ?por isso tô te mandando esse áudio?; ou ?porque tá tocando a nossa música? ou ?então comprei uma passagem? ou ainda ?desce agora que tô passando aí?. Então vá embora. Vá embora do trabalho que te atormenta. Daquela relação que você sabe não vai dar certo. Vá embora ?da galera? que está presente quando convém. Vá embora da casa dos teus pais. Do teu país. Da sala. Vá embora. Por minutos, por anos ou pra vida. Se ausente, nem que seja pra encontrar com você mesmo. Quanto voltar ? e se voltar ? vai ver as coisas de outra perspectiva, lá de cima do avião. As desculpas e pré-ocupações sempre vão existir. Basta você decidir encarar as mesmas como elas realmente são ? do tamanho de formigas".

P.S: Um dia depois de publicado a Antônia no Divã me escreveu dizendo o texto é dela! Até Carpinejar escreveu carta se redimindo da não-autoria. Vejam o post original aqui) <cml_media_alt id='4284'>É hora de ir embora</cml_media_alt>