Ela é tão, mas tão pequenininha que em 40 minutos de trilha é possível contornar essa faixa de areia branca cercada de água turquesa e lindos corais. Sem telefone, eletricidade, restaurantes e hotéis, nem moradores a ilha tem e a população é Zero em qualquer cartilha geográfica. Rodeada por palmeiras e coqueiros possui apenas um banheiro público e algumas cabanas para aqueles que decidem passar a noite por ali.   Lá não tem quase nada pra comprar nem pra comer (além dos artesanatos e côco somente nos dias em que o navio aporta e que são vendidos pelos moradores da comunidade vizinha), então não há necessidade de trocar dólares para Vatu, a moeda local. Um côco furado e que depois pode ser aberto para aproveitar o restinho até a polpa acabar custa somente 1 dólar australiano. Se decidir comprar sarongues, flores de plástico para o cabelo ou fazer um penteado no estilo Pelourinho esqueça o cartão de crédito, afinal se nem luz elétrica tem, não será sua tarjeta magnética (vulgo cartão de crédito) que irá funcionar. Só que mais que somente um local paradisíaco, a história de Mistery Island é que ela foi base para militares americanos que serviam na ilha vizinha de Aneityum, outra ilha do grupo que forma Vanuatu. Ali também foi construída uma pista de pouso para os soldados que precisam chegar à região. Uma visita ilustre também passou por ali. A Rainha Elizabeth esteve lá em 1974, numa parada não agendada durante uma viagem de Port Vila (capital de Vanuatu) para a Austrália. Assim que avistou a micro ilha ela decidiu que ali faria um piquenique e passaria algumas horas. Os vizinhos mais antigos que estavam por lá é que se recordam da ilustre visitante e contam orgulhosos dos momentos em que a rainha passou por lá. Agora legal mesmo é ser recepcionado por crianças cantando músicas típicas. Mulheres mais velhas tocam violão enquanto os pequenininhos cantam músicas em francês ou Bislama, a língua local. Se essa é a vista de cima, imagina ver isso ao seu lado dentro d´água? O único transporte existente ali é o seu pézinho. Nem bicicleta tem. Depois de andar a ilha inteira, descansar no sol ou na sombra, nadar em águas transparentes, tomar água de coco, descansar e nadar de novo, a única opção para um almoço é voltar para o navio. Mas qualquer minuto em Mistery Island vale a pena. Pra mim o ditado "sombra e água fresca" foi criado ali.   Sombra...   ...e água fresca