Uma das obras de Banksy na Palestina

Uma das obras de Banksy na Palestina

O grafiteiro britânico Banksy espalhou suas obras por diversos países e tive a honra de ver ao vivo na Palestina, antes mesmo de visitar as famosas paredes de Londres, onde moro. Depois de passar alguns dias em Jerusalém, decidimos cruzar a fronteira com a Palestina e visitar Belém, que fica há cerca de meia hora. Uma das coisas que mais chama a atenção e é uma das principais atrações de Belém – além claro da Igreja da Natividade, onde Jesus nasceu – são as obras de protesto de Banksy, que além de estarem espalhadas por diversos muros da cidade, são vistas também junto com as de outros artistas na Parede da Separação, o polêmico muro que separa Belém de Jerusalém. O muro tem aproximadamente 8m the altura e do checkpoint até o Aida, um dos campos de refugiados, a parede, que é grossa e feita de concreto pesado contém imagens de artistas e pessoas do mundo inteiro que lutam para acabar com a briga entre as duas nações e em busca de paz para o povo judeu/palestino. As imagens tocam, os pedidos de paz estão em todos os lugares e desejam que um dia isso tudo acabe. O dia-a-dia é incerto e hoje tudo correu bem, na paz. A ocupação militar é constante e a situação pode ir de calma a perigosa à qualquer momento. Turistas normalmente são protegidos e vale sempre a pena manter contato com o hotel/hostel e ficar de olho nas notícias. Alguns checkpoints como Hebron ou Hamallah podem ser mais perigosos que o Bethlehem 300 por exemplo. Se na imigração você for perguntado e disser que pretende visitar o West Bank ou a Cisjordânia e você disser que sim, isso pode ser um motivo para segurá-lo por mais tempo no guichê e provavelmente irão enchê-lo de perguntas, mais do que o fazem normalmente.
Com a(s) Tag(s) →