Em três dias pela Suíça, conheci muito mais do que imaginava e me me surpreendi muito mais do imaginava também. O Golden Pass Line, ou Swiss Travel Pass permite que você conheça o que quiser do país em 3, 5 ou mais dias, dependendo do seu planejamento. Como a viagem seria curta, decidi começar e terminar em Genebra, assim deu para calcular o tempo direitinho entre as cidades e fazer tudo o que estava no roteiro em apenas 3 dias, perfeito para quem mora na Europa e quer aproveitar um feriado ou não quer gastar tanto, já que a Suica é um país caro.

Sugiro colocar um mapa e listar os locais em que estive (Genebra, Montreux, Interlaken, Lucerne, Bern, Chateau D’oex)

O sistema de transporte funciona perfeitamente e já na chegada ao aeroporto, comprei o Swiss Travel Pass. Você seleciona a quantidade de dias, mas preste atenção quanto estiver nas estações e tente percorrer as linhas Golden Pass Line, que tem vagões com janelas enormes permitindo que voce tenha uma visão incrível das paisagens durante o caminho. O ticket é ilimitado e uma vez que voce adquire, da a liberdade de utilizar qualquer empresa de transporte – trem, metro ou ônibus – de todo os pais e em qualquer lugar e horário, dando a liberdade de aproveitar ao máximo o roteiro. Fiquei tao encantada com a vista para o Interlaken, que percorri praticamente toda a viagem olhando pelas janelas.

O Interlaken é um dos destinos mais visitados da Suíça e fica entre três grandes montanhas: Eiger, Mönch e Jungfrau. Só a vista já enche os olhos e parece que tempo nenhum é suficiente para apreciar a paisagem e as montanhas, realmente impressionante. Por estar localizado no centro do país é ali que começa grande parte das atividades, tanto para que viaja de trem e quer fazer trekking em um dos muitos caminhos ou visitar o topo das montanhas de bondinho ou teleférico. Para quem gosta de descobrir novos caminhos e estar em meio a natureza, a região é realmente famosa pela quantidade de trilhas, que são cheias durante o verão. Já se voce é adepto das águas, há a opção de fazer passeios de barco, incluindo barcos a vapor, que possuem rodas de pás que cruzam as águas do Lago de Thun e do Lago Brienz.

Lucerne

Bem proximo da estacao, no burburinho da cidade, voce avista lojas de relogios por todos os lugares. Mas basta alguns passos para avistar a ponte que atravessa o principal rio de Lucerne. Basta chegar a essa ponte para então avistar o principal cartão postal da cidade: a Chapel Bridge. Conhecida por ser uma das mais antigas pontes cobertas da Europa, foi totalmente reconstruída – mantendo-se a pintura original no teto – depois de ter sido destruída pelo fogo. Ao redor do rio você encontra bares e restaurantes, que ficam lotados durante os dias de sol. Do centrinho de Lucerne saem os barcos para o Monte Rigi, onde vagões ou cable car permitem que voce veja a cidade lá de cima. Outra atração é a Museggmauer Wall, uma parede que é foi preservada desde suas origens. Caminhe pelas ruas, descubra ruelas com construções e casas que ainda mantém os afrescos até chegar à principal praça da cidade, a ‘Weinmarkt’, onde não são permitidos carros. Preste atenção à primeira igreja barroca construída na Suíça e as torres Hofkirche, parte da bela paisagem da cidade. Apesar de manter sua essência, Lucerne alterna entre o antigo e o moderno. Prova disso é o KKL, um centro de convenções futurista construído pelo arquiteto francês Jean Nouvel e onde acontecem os principais eventos da cidade.

Berna

Me apaixonei ao sair da estação de trem. Não é à toa que o centro histórico da cidade entrou para a lista de Patrimônios da Humanidade da Unesco. Faca chuva ou sol, os longos calçadões de compras cobertos e suas arcadas de 6km, conhecidas como Lauben, fazem com que voce ande pela cidade sem preocupações quanto ao tempo. A cidade mantém características históricas muito bem preservadas. Pegue um mapa e comece a seguir Um relógio-cuco enorme é uma das atrações para os turistas, que ficam a espera de suas badaladas. Caminhe até
o Jardim das Rosas, acima do Fosso dos Ursos e tenha uma vista incrível de uma das cidades mais bonitas da Europa. Outro local que pode ser explorado é a plataforma da torre da catedral em volta do qual flui o rio Aare
e que mede 100 metros de altura, também uma das melhores vistas para o centro histórico. Grande parte da cidade pode ser explorada a pé e no retorno faça uma pausa em um dos muitos cafés ou restaurantes localizados no centro histórico. O interessante são as portas que levam para porões e onde você encontra lojas ou restaurantes. Em Berna e o urso – o animal heráldico da cidade – são inseparáveis. Ao visitar a cidade, a visita ao fosso para ver os ursos é parada obrigatória, já que eles são o símbolo da cidade. A cidade foi casa de Albert Einstein no início do século XX eo Museu Zentrum Paul Klee, situado na periferia, abriga a mais completa coleção de obras do artista Paul Klee.

Chateau D’eox

Chateau D’eox não estava nos planos, mas ao passar pelos Alpes Suíços e avistar aquela paisagem, aquele monte de casas aos pés da montanha, algo tocou e acabou entrando no roteiro. A cidade tem 5000 habitantes e qual não foi a surpresa quando descobri que foi ali que começou a primeira volta ao mundo de balão? Em 1 de Março de 1999 começou a primeira circunavegação do mundo, sem escala. Os pilotos Bertrand Piccard e Brian Jones levantaram voo em um balão “Breitling Orbiter 3” em Chateau d’Oex nos nos Alpes Suíços e sobrevoaram a Itália, o Mediterrâneo, a Espanha, Marrocos, a Algéria, a Líbia, o Sudão, o Mar Vermelho, a Arábia Saudita, o Iémen, o Mar da Arábia, Índia, Bangladesh, Birmânia, China, Tailândia, o Pacífico, o México, a Guatemala, Belize, Jamaica, Haiti, República Dominicana, o Atlântico, o deserto Saara Ocidental, a Mauritânia, a Algéria, o Níger e finalizaram no Egito depois de 19 dias percorrendo 45.755 km. Não é à toa que a cidade ganhou um museu de balonismo e uma das estátuas mais legais.

Genebra

Conhecida como a “capital da paz”, pela tradição humanitária e atmosfera cosmopolita é lá que fica a sede europeia da ONU e o quartel general da Cruz Vermelha.

Genebra é cidade mais internacional da Suíça e onde fica localizada a sede europeia da ONU e onde a Cruz Vermelha define suas campanhas pelo mundo. Na margem direita do lago, voce encontra hoteis e restaurantes enquanto o lado esquerdo é o coração da cidade, com a Catedral de São Pedro e a Place du Bourg-de-Four, a praça mais antiga da cidade, parques, bares e restaurantes, lojas e as as áreas comercial e financeira, sendo considerada um centro de história e cultura. Destaque para o “Horloge Fleuri”, grande relógio em forma de flor do “Jardin Anglais” (Jardim Inglês) e um símbolo mundialmente famoso da indústria de relógios de Genebra. E claro, preste atenção no “Jet d’eau”, o símbolo da “menor metrópole do mundo” – uma fonte cujo jato d’água chega a 140 metros de altura, situado na periferia do Lago Genebra. Passeie pela Grand Rue, uma das ruas mais preservadas da cidade e conhecida por ser o local de nascimento de Jean-Jacques Rousseau.

Nao vá embora sem provar o famoso Fondue e o Flammenkueches, um salgado de massa fina muito parecido com uma pizza. E claro, de se deliciar com os famosos chocolates. Mas vá preparado, a Suíça é considerada um dos países mais caros do mundo.

Com a(s) Tag(s) →